A minha alegria é te louvar


Senhor meu e Deus meu, não me canso de te louvar. Todos os dias quando abro os olhos os meus primeiros pensamentos são em ti. Minhas primeiras palavras, meu primeiro suspiro e meu primeiro sorriso da manhã são por ti.

Quando lembro que és tu que dá sentido à minha vida ao levantar da cama aceito de coração que és uma verdadeira bênção. Tu, meu Deus, me colocaste onde estou, me presenteaste com tudo que tenho e me deste uma honrosa missão: Fazer deste mundo um lugar mais belo que os demais. Eu te peço forças para conseguir realizá-la hoje e sempre.

Ajuda-me a não desesperar-me diante de nenhuma situação e a ter a paciência necessária para resolver as dificuldades que tenho e seguir adiante realizando o projeto que pusestes na minha vida. 

Dá-me também, Senhor, a capacidade de compreender as pessoas e não desesperar-me diante de seus manifestos, tornando-me empático para que assim possa ajudá-los a resolver seus problemas nas situações difíceis.

Abençoe-nos e ajude-nos a viver em comunidade.

Amém.


Padre Alberto José linero Gómez, Eudista
Traduzido do espanhol

Medo de não ter o controle do futuro


Senhor meu e Deus meu, às vezes abro os olhos e tenho medo por tudo que vou enfrentar. Não ter o controle do futuro me enche de insegurança, por isso, neste momento, quero suplicar-te que derrames suas bênçãos poderosas sobre mim e que passe o que passe tudo estará bem, porque tu és o que tudo pode.

Não permita que meus erros me atormentem e façam com que eu os cometa nas decisões que eu tenha que tomar. Não deixes que minhas emoções prejudiquem pessoas que amo e que estão perto de mim. Dá-me a humildade suficiente para reconhecer meus erros e atuar com inteligência e com paixão ao longo desta jornada, pedindo perdão aos que causei danos tratando de repará-los.

Obrigado por me escutar e por atuar em meu favor. Tudo está em suas mãos. Saio a enfrentar este dia com a certeza da vitória que tu sabes dar aos que confiam no seu poder. Amém.

Padre Alberto José linero Gómez, Eudista
Traduzido do espanhol

Um novo dia


Senhor meu e Deus meu, abro meu coração a ti. É genial tê-lo em minha vida, saber que tu me cuidas com um amor materno, que me sustenta com tuas suaves mãos, que ao mesmo tempo são fortes e amáveis.

Eu te vejo todos os dias como o pai do filho pródigo, esse que ama sem condição, sem restrição e que minuto a minuto dá seu eterno amor. Obrigado meu Deus por esses braços abertos, porque sei que cada vez que te busco me dou conta que sempre te encontro.

Desde sempre me conheces. Obrigado por receber-me quando falho e por dar-me sempre uma nova oportunidade. Estou seguro de que tua misericórdia é que me inspira a ser melhor e que me faz lutar contra o mal.

Sinto que este amor infinito que tens por mim é o combustível que me impulsiona a não esmorecer diante de nenhuma situação que me encontro. Obrigado por sentir sua alegria quando, arrependido, vou até você, porque me reconheço necessitado de Ti. Eu te amo e em teu nome começo este novo dia. Amém.

Padre Alberto José linero Gómez, Eudista
Traduzido do espanhol

Tenha um dia abençoado



Senhor Deus e Deus meu, quero te dar bom dia. Sei que estás a meu lado sem deixar-me um segundo sozinho. Sinto em sua companhia a necessidade que minha vida tem para ser feliz. Eu te entrego todas as atividades que tenho para realizar neste dia. Permite que em cada uma delas possa sentir sua benção que me anima e me impulsa a viver segundo sua vontade.

Senhor, não permitas que em nenhuma situação eu sinta temor e duvide de teu poder. Permita que meus atos possam animar aqueles que têm sucumbido às dificuldades e que acreditam que tudo está perdido.

Neste momento coloco em tuas mãos todos aqueles que me pedem oração. Graças a ti meu senhor porque és bom e teu amor é infinito. Este dia será vitorioso porque começo em teu nome. Amém.

Padre Alberto José Linero Gómez, Eudista.

A Raíz de Rejeição


De uns tempos para cá Deus tem me mostrado que tenho muitas raízes de rejeição na minha vida que, por anos, moldaram meu caráter de uma maneira muito errada.

Li um livro que falou muito ao meu coração com relação a este assunto. Chama-se A Raiz de Rejeição, da Joyce Meyer.

Uma raiz de rejeição se forma na nossa vida depois de acontecimentos, seja na infância, adolescência ou até mesmo na vida adulta, que nos atingem e fazem com que nos sintamos rejeitados e menosprezados pelos outros. Uma zoação dos colegas na escola, o término de um namoro, a separação dos pais, a indiferença recebida por uma pessoa importante, um abuso sofrido... Todas essas coisas podem deixar marcas.

Pessoas que carregam raízes de rejeição criam mecanismos de defesa na tentativa de não sofrer no futuro, ou então continuam sofrendo devido à sua maneira errada de pensar à respeito dos outros e de si mesmo. Por exemplo: uma moça que é traída ou abandonada pelo seu ex-namorado pode, mesmo que inconscientemente, fazer votos secretos e dizer palavras de afirmação em seu coração: "nunca mais nenhum homem pisará em mim", "nenhum homem na face da Terra presta", entre outras. 

Uma segunda característica é o perfeccionismo. Querer fazer as coisas com excelência é muito importante, porém é impossível ser perfeito e nunca cometer erros. Muitas pessoas esforçam-se muito na tentativa de não cometerem erros, porque vivem sob uma opressão de que só serão boas o suficiente para os outros e para Deus se nunca cometerem erros. Quando tais pessoas são criticadas pelo que fazem, sentem-se frustradas e chateadas. Não conseguem enxergar que são importantes e especiais, independente do que tenham feito de errado.

Uma terceira característica é querer agradar sempre. Não há nada de errado em querer presentear e agradar as pessoas, nada mesmo. O problema todo é a intenção que há por trás do ato. Aqueles que possuem raizes de rejeição têm segundas intenções. Querem agradar para que o outro também se sinta na obrigação de agradá-lo, e quando isso não é possível sentem-se frustrados. Querem agradar para ganhar a simpatia, a amizade e para não serem rejeitados. 

Pessoas com sentimento de rejeição também têm a tendência de sempre assumirem a auto-defesa. Alguém esquece do aniversário delas, ou não dá a atenção necessária, ou qualquer outra atitude que as machuque, daí elas imediatamente se defendem: "Poxa, vc não me dá atenção", "vc deveria me tratar com mais consideração..."
Outra característica marcante é esquivar-se, fugir. O exemplo de fuga mais forte para mim é o daquela pessoa que encontra com alguém conhecido na rua e finge não ter visto, com medo de ir lá cumprimentar e a pessoa "virar a cara", ou senão, quando conhece alguém e tenta ficar um pouco afastado para não pegar intimidade, pois tem medo de pegar confiança e ser traído.

Observe bem os exemplos dados. Esses tipos de atitudes tendem a tornar os seres humanos cada vez mais isolados. Tornam-se seres solitários, pois não querem mais sofrer, não querem mais conviver em comunidade por causa do medo de serem novamente rejeitados. Isso não é vida. É muito triste viver assim. Jesus disse o seguinte: "eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância." (João 10:10)

A rejeição é um problema crônico sofrido por muitas pessoas que nem sequer sabem disso. É uma tática muito bem elaborada pelo inimigo para nos manter longe do ideal de vida abundante que Jesus deseja que tenhamos. O inimigo sabe que me sinto rejeitada quando me dizem certas coisas e fazem certas coisas comigo, pois "ele anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar" (1 Pedro 5:8). Por esse motivo, ele usa pessoas e situações para me oprimirem. Indivíduos rejeitados, como eu, relacionam-se com outros indivíduos rejeitados, e o resultado disso tudo é desastroso. Depositamos nossas expectativas uns nos outros, o que gera muita confusão nos relacionamentos.

Jesus foi um homem rejeitado em sua existência. Isaías diz: "Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum" (Isaías 53:3). Apesar disso, a Bíblia diz o seguinte: "A mesma pedra que os edificadores rejeitaram e desprezaram tornou-se a Pedra principal e angular" (Mateus 21.42)

Jesus veio ao mundo para nos salvar e nos ajudar a superarmos nossas dificuldades e pecados, inclusive o mal da rejeição, pois "verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido." (Isaías 53:4)

Sabe... Nós sempre seremos rejeitados em algum momento. Não fique triste se você não é chamado para ir nas festas da galera popular da igreja ou da escola, ou se você não tem uma página no orkut lotada de gente, com milhares de recados e telefonemas perdidos no seu celular. Jesus era um cara simples, um cara da "ralé", que as pessoas olhavam da cabeça aos pés e viravam a cara.

O seu valor não está no que você faz ou tem, muito menos naquilo que as pessoas dizem que você é. Seu valor está em quem você É em CRISTO. Jesus é seu amigo e intercede por você:

"Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós." (Lucas 10:16)

Muitas vezes nós nos achamos um lixo, mas saiba que Deus gosta muito de usar pessoas pequenas, desprezadas, e usá-las para coisas grandiosas! "Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são." (1 Coríntios 1: 26-28)

Para concluir, quero deixar um trecho do livro:

"Se você tem uma raiz de rejeição em sua vida, pro­vavelmente aprendeu a responder às coisas da forma que Deus nunca planejou. Por exemplo, se entra num local e não lhe dão atenção imediata, você assume que todas as pessoas naquele lugar não gostam de você. Você se sente rejeitado simplesmente porque percebeu que não obteve atenção. Agora, na verdade, isso pode ser a coisa mais distante da realidade. É totalmente possível que as pessoas na sala simplesmente não tenham notado que você chegou!

Eu me lembro de quando uma das minhas funcionárias tinha sentimentos feridos porque achava que eu prestara mais atenção em outras do que nela em certo evento. Eu nunca a teria ofendido! Quando fiquei sabendo como essa moça se sentia, fui ao Senhor e disse: "Deus, ela se sentiu rejeitada, e eu nem mesmo a vi! Por que o Senhor não me faz ver pessoas como essa moça? Não quero machucar os sentimentos de ninguém"!
O Senhor me disse: "Você não a viu porque Eu não queria que a visse! Eu a ocultei de você porque ela pensa que precisa da sua atenção, mas sei que esta é a última coisa de que ela necessita! Estou tentando levá-la ao ponto em que ela não baseará seu valor em obter a atenção de outras pessoas". Isso me ensinou uma grande lição: freqüentemente o que nós pensamos não é o de que realmente precisamos."

A Raíz de Rejeição - Por: Daniele Cardoso
http://danielecardoso.blogspot.com.br/2010/10/raiz-de-rejeicao.html

O que os meus olhos não viam


Acho que nesse momento sinto-me segura o suficiente para admitir que eu não sabia quem eu era. Era uma​ tentativa de criar autoestima. Acho que na vida agente passa por situações que marcam para sempre. Também acho que devemos experimentar de tudo e compreender o que serve pra nós. As amizades, os relacionamentos e tudo o que está enraizando no nosso inconsciente. Fiz uma reflexão sobre o que ocorreu comigo nas últimas 72 horas. O que falamos, o que falaste e principalmente sobre o que vivi, principalmente sob o julgamento dos outros e de como me via. Tenho crido errado. Em Deus e nos homens. E em mim. Obrigada por me tirar do abismo. Eu sei que somente eu devo e posso me socorrer. Serão as minhas mãos que devem me levantar. Também sei que ninguém é perfeito e que eu não sou perfeita. Essa foi a maior lição que tirei pra mim e pra vida que ainda estar por vir. Quanto mais se busca a perfeição mais longe dá realidade ficaremos. Foi o que aconteceu comigo.

Confissão de uma mulher carente


INFÂNCIA

Minha infância foi de muitas​ dificuldade e ausências. Meu pai trabalhava viajando e minha mãe lavava roupas de outros para que pudéssemos jantar café com pão. Lembro-me que nessa época fomos despejados porque não tínhamos como pagar o aluguel. Moramos quase um ano e meio com minha avó. Nessa época meu pai estava em Goiás. Agora, com absoluta certeza, a maior tristeza da minha infância foi o abuso do álcool. Meu pai bebia todos os dias quando estava em casa.

Dentre as mudanças, teve o que eu chamo de o grande erro da infância pobre: ajudar minha mãe. Fui trabalhar. Obviamente eu me sentia adulta e fui ser babá. Daí foi só ladeira abaixo. Lembro-me das muitas dificuldades pelas quais passei.

Meu pai viajava enquanto eu perdia a minha infância e tinha meu corpo violado. Ele ficou doente da próstata e morreu de um infarto fulminante.

Vou já te falar da minha adolescência. Quer saber porque odeio homens negros?
Olha essa foto. Esse homem negro é o pai da minha filha. Entendeu porque não suporto homem preto.

Eu nunca te confessei que a minha filha foi feito de uma violência que eu sofre desse negro nojento. Ele me bateu e em seguida me pegou à força. Já havíamos colocado um final no nosso relacionamento. Assim como o meu pai ele também bebia muito.

Não sei porque guardei todas essas fotos. Época infeliz da minha vida. Odeio homens preto. Odeio cacete preto. Tenho nojo.

Não fale nada. Apenas leia . Depois tire as tuas certeza de que realmente sou louca. (Risos)

Vou falar um pouco da minha adolescência.

ADOLESCÊNCIA

Minha adolescência foi muito conturbada. Minha mãe protegia a Meire e a Julia. Parecia que eu não era filha. Tornei-me andarilha de lares. Em cada lar um abuso e em cada abuso eu vi a distancia crescer entre mim, minha mãe e minhas irmãs. Eu contribuía com as despesas da casa e ela não cuidava de mim e nem me protegia. 

Conheci o Cristiano. Ele passou a me ajudar financeiramente. Eu vivi o céu e o inferno. Nessa época eu tinha 14 anos. Ele era muito violento. Dono de mim. Eu sofria a ausência da minha família e a mentira que era a minha vida. Minha mãe sempre repetia:" O seu pai não pode saber de nada". 

Quando engravidei sonhei com a minha filha. Ela tornou-se a razão pela qual passei a viver. Conheci o inferno, a dor e o abandono. Primeiro a violência do pai da minha filha, depois o desprezo da minha mãe. Cinco meses havia se passado e minha barriga ainda não era notada. Minha mãe me torturava. Ela falava que meu pai iria morrer e meus irmãos ficariam com ódio de mim. Veja bem . Eu já trabalhava e já era responsável pelas despesas da casa.

O meu pai, quando vivo, era vendedor. Galego. Vendia nas portas. Mesmo sofrendo com as torturas da minha mãe levei até onde pude a minha gravidez. Eu nunca te falei, mais foi o Cristiano que me levou para clínica. Foi ele que me levou pro inferno.

Acordei sem ele e sem minha filha. Voltei pra dentro de casa e passei a viver o desprezo de minha mãe.

Juntei o que sobrou de mim e fui à luta novamente. Passei então a viver com culpas, medos e traumas até o dia que soube que o Cristiano havia falecido num acidente de moto.

Mesmo eu trabalhando a minha mãe me desprezava. Passei então a comprá-la. Televisores, geladeiras. Compras nos supermercados. Ela coloca até hoje no carrinho o que ela quer.

Comprei a casa onde hoje moro com ajuda da chefe da empresa que eu trabalhava na época. Até hoje há uma muralha entre mim e minha mãe. A afinidade que há entre ela e as minhas irmãs é invejável. Não consigo abraçá-la nem no dia das mães. Nem no natal. Nem no dia do seu aniversário

Já fui esquecida por ela várias vezes.  Eu sou o macho da casa.
Já bebi muito. Já dormi muitas vezes de porre para esquecer.
Até hoje sinto uma dor. Sabe aquela dor sintomatizada. Aquela que não se medicaliza?. Porque dói na alma.

Não sinto pena de mim. Entendo quando você fala dos meus erros.
Já cometi vários erros e muitos enganos.
A minha adolescência foi de trabalho e de encontros a meio de muitos desencontros.
Busquei a felicidade na noite, no carnaval, no sexo e nos homens. Eu queria amor, proteção. Eles queriam sexo.

Sai do Cristiano aos trapos. Quebrada. Um lixo humano sem vida .

UMA NOVA PAIXÃO

Você apareceu na minha vida como uma avalanche. Foi paixão. Um sentimento arrebatador como jamais senti por algum outro.
Você era a razão e eu a paixão. Você era a brisa e eu a tempestade. Eu há muito tempo estava à deriva e naquele momento você era o cais.
Confesso lutei contra tudo aquilo que eu sentia.
Você veio de encontro com as minhas fragilidades mas também de encontro com tudo que eu queria bem longe de mim: um homem casado e amante de uma colega de trabalho.
Olhava pra você e meu corpo já acendia a volúpia

Não demorou para as tempestades surgirem. Você dono de si, sabia envolver, mas também sabia fazer me sentir intrusa e sem direito. Até hoje trago comigo a noite em que fizemos sexo e no caminho você me falou que a sua família era prioridade assim como a amante. E continuou falando que eu era um terceiro plano. Ciúmes. Quase morri de ciúmes.

Quanto mais o tempo passava mais eu te amava. Tempestades em meio a dias ensolarados. Foi o que vivemos.

Você era diferente de todos os homens que eu já havia conhecido

No bar, na cama, não importava: você era diferente . Tornou-se o meu tudo. Eu vi o tempo passar ouvindo você me desclassificar enquanto pessoa e como ser humano.

É verdade que eu ameacei você. Eu te ligava a toda hora. Eu te buscava a todo instante.

O que estava por trás dos meus desequilíbrios não era uma mulher mal-caráter ,era um ser humano que via em você o que sempre quis nos relacionamentos: segurança, amizade, verdade e sinceridade.

Faltou tudo isso entre nós.

Eu aceitei ser o terceiro plano. Assim como por você eu seria o quarto, o décimo. Eu te amei tanto que esqueci de mim. Esqueci de ser mulher. Passei por cima do meu orgulho, do meu ego. Atropelei os meus sentimentos. Negligenciei​ a minha sexualidade desejando sexo contínuo com você.

Perdi um ano inteiro implorando sexo a você . Lembra? Está aqui. Está dentro das minhas muitas lembranças.

Meu Rei. Eu te coroei meu Rei.

Eu te amei de muitos maneiras e errei te amando. Errei comigo mesma e errei contigo.

O que começa errado no caminho se entorta de vez.

O medo de te perder levou-me a loucura. Liguei pra sua casa. Ameacei você  e jamais nessa vida, em momento algum, pensei em tê-lo como refém.

Eu fui refém muitas vezes desse amor doente que senti por você. Refém do sexo prazeroso e da volúpia que era ir pra cama contigo. Refém das descobertas. Do sexo oral. De sentir prazer anal. Sexo jamais feito com outro homem.

HOJE

Não sei dizer o que estou sentindo. Estou me desnudando pra você.
Se o tempo voltasse atrás eu não me envolveria com você.
Já senti muitas vezes orgulho de você. Lembra quando te pedi um filho?
A sua resposta me encheu de orgulho. 
Eu jamais pedi um filho pra um homem.

Reconheço que liguei pra sua casa. Reconheço que te ameacei. Reconheço. Acredito que minhas atitudes possam ter abalado o seu casamento. Mas também reconheço que muito das minhas atitudes foram consequência do ciúmes, do amor doentio que senti por você. Não por ser uma pessoa mal-caráter.

Não quero agora me justificar, mas lamento que tenha demorado tanto pra me falar.

Hoje não tenho sonhos, não desejo mais ter filhos, como também não penso em casar. Acaba que todas as idas e vindas que dei na vida. Já não me atrai. 

Hoje sou uma pessoa de muitos colegas. Amigo só o meu trabalho. Marido, amante, namorado só o meu salário que paga as minhas contas. 
Hoje eu sou um barco que não precisa de um cais. Em qualquer lugar jogo a âncora. Talvez a maturidade ainda não tenha me deixado de sufocar você. O que vou levar do nosso relacionamento é maturidade pra não errar novamente. Os erros servem pra gente crescer, evoluir. Dos meus desequilíbrios vou procurar tratá-los . Somos adultos. Traumas não se apagam, se tratam.

Admiro você pelo que você é . Sempre terá o meu respeito e amizade. Gosto muito de você. Admiro pessoas inteligente

Não estou trabalhando hoje por causa da dengue. Estou de atestado. Só volto agora na terça feira. As minhas plaquetas estão baixas.

Não nego que amo você e que sempre gostei do sexo que fizemos
Na verdade conheci o sexo bom e prazeroso com você.
Embora não goste de negro por causa do pai da minha filha. Sempre tive a volúpia alta pelo cacete que você tem.

Eu sempre fiz sexo contigo por amar você e principalmente por gostar do seu cheiro. Seu cheiro me desperta os sentidos e muitas vezes me levou a gozar. Não tenho vergonha de você. 
Você foi o único homem que me fez sentir a vontade.

Preciso te falar que a minha única frustração é a de não ter um filho. Era a realização da minha vida.

Preciso te falar que um dia você usou da violência comigo. Não sei se foi porque quis. Acho que não. Um dia fomos ao motel e durante o sexo anal você me machucou muito. Cheguei a ter sangramento. E tive dificuldades pra sentar e outra coisas que agora não vem ao caso. Lembro de você ter me perguntado se eu estava bem. Na ocasião eu não falei nada porque fiquei com medo. Com o passar dos dias você manteve outro comportamento. Por isso acho que foi um ato inconsciente.
Estou com muita febre. Tenha um bom dia.

PS. Esta é uma estória fictícia. Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência.

O cristianismo nacional não é cristão


A maioria dos cristãos que se intitulam como tal no Brasil não conhece sequer os princípios basilares de sua religião. 

O cristianismo nacional não é cristão; é muitas vezes um misto de demência cognitiva e invenção de um sentido conteudístico grotesco para um conceito religioso formal anteriormente esvaziado de sua própria substância conceitual. 

A bizarrice é tão medonha que o cristianismo acabou por se reduzir a um ecletismo de fanáticos que frequentemente também adoram um bom clientelismo de cupinchas, tanto quanto, por meio do clientelismo, clamam pela benção paternal advinda das forças cínicas do status quo, enquanto objeto pelo qual a defesa da propriedade privada torna-se único parâmetro de fé e prática social. 

A origem do linchamento do rapaz está nisso. Em síntese, a religião desses homens ditos de bem, cristãos "do bem" seletivamente benzidos com a "luz" da salvação divina faz, por conseguinte, o espaço social estar exaustivamente ocupado por crucifixos por todo lado (ressalte-se no espaço da internet), transmutando esse mesmo espaço na apologia incondicional ao status quo e às pequenas inquisições bairristas, tomadas como parâmetro teológico cujo destino é tanto a proteção de bens pessoais quanto a perpetuação de um ressentimento social a partir do qual o recalque se volta, quando liberado, contra inimigos públicos fabricados (talvez um ladrão de celular... o qual é - as aparências não mostram e o senso comum não percebe - a ponta do iceberg das determinações históricas pelas quais a desigualdade social avança sem piedade). 

Nesse caso, registre-se aqui enfim a frase de Marx, muito emblemática para o caso: “A religião é o suspiro da criança acabrunhada, o coração de um mundo sem coração, assim como também o espírito de uma época sem espírito. Ela é o ópio do povo"

Janaína Monteiro - Facebook

O trem da vida


A vida é como uma viagem num trem, com suas estações, suas mudanças de curso, seus acidentes... Ao nascermos, pegamos o trem e nos encontramos com nossos pais, e acreditamos que sempre viajarão ao nosso lado, mas, em alguma estação, eles descem e nos deixam sós na viagem.

Da mesma forma, outras pessoas pegarão o trem e nos serão significativas: nossos irmãos, amigos, filhos e até mesmo o amor da nossa vida. 

Muitos descerão e deixarão um vazio permanente.. outros passam tão despercebidos que nem nos damos conta que eles desocuparam seus assentos.

Esta viagem estará cheia de alegrias, tristezas, fantasias, esperas e despedidas. O êxito consiste em ter uma boa relação com todos os passageiros, dando o melhor de nós. 

O grande mistério para todos é que não sabemos em qual estação desceremos. Por isso, devemos viver da melhor maneira, amar, perdoar, oferecer o melhor de nós. 

Assim, quando chegar o momento de desembarcar e o nosso assento estiver vazio, vamos deixar bonitas lembranças aos que continuam viajando no trem da vida!!!!

Desejo a você que a viagem em seu trem seja melhor a cada dia, com muito sucesso e amor. 

O trem da vida: Papa Francisco

Um pequeno passeio pelo inferno


Quem nunca imaginou como seria o Inferno? Como seríamos castigados por nossos pecados? Bem, Dante Alighieri imaginou. Imaginou e descreveu com uma riqueza de detalhes tão grande, que é capaz de aterrorizar até os mais incrédulos.

A Divina Comédia é com certeza um dos maiores poemas já escritos, não só por conter em sua estrutura, 100 cantos e 14.233 versos, mas sim por ter sido fonte de inspiração para grandes nomes da arte, resultando em dezenas de obras baseadas na viagem de Dante Alighieri pelo Inferno, Purgatório e Paraíso.

Uma dessas obras (e a minha favorita) é o chamado “Mapa do Inferno”, de Sandro Botticelli, a ilustração retrata os Nove Círculos concêntricos descritos no Inferno, com todo o sofrimento dos que tiveram esse, como destino final.


Mas antes de começarmos a nossa viagem, vamos saber um pouco do homem por trás da mente que criou este épico poema.

Agora chegou a hora de darmos início ao nosso passeio pelos Nove Círculos por onde Dante andou guiado pelo seu mestre, o poeta Virgílio. O Inferno descrito por Dante está em forma de um funil, que segue em direção ao centro da terra, onde Lucífer está à espera. Em cada círculo são punidos pecados distintos, de acordo com seu grau de “gravidade” Os pecados menos graves são punidos nos primeiros círculos e os mais graves nos últimos.Dante Alighieri nasceu em Florença, na Itália, em maio de 1265, era escritor, poeta, político, e suas inúmeras obras lhe renderam o título de “Il sommo poeta”. Mas Dante não é lembrado apenas por ter redigido uma das obras-primas da literatura universal, sua paixão pela jovem Beatriz Portinari deixou grandes marcas na sua história, estando ela presente na “Divina Comédia” como sua guia pelo que equivale a terceira e última parte do poema, o “Paraíso”, além de ter sido uma de suas grandes fontes de inspiração para outros poemas. Dante foi exilado de sua amada Florença e faleceu em Ravena no ano de 1321.

E lá vamos nós…. “Deixe toda esperança, ó vós que entrais”.

Primeiro círculo – o Limbo

É destinado aos pagãos virtuosos e aos não batizados, àqueles que morreram antes da vinda de Jesus Cristo, suas almas vagam pela mais completa escuridão, o que representa a não iluminação das mentes que não conheceram o Evangelho e seus ensinamentos.

Segundo círculo – Vale dos Ventos

Encontra-se a sala do julgamento, é lá que o juiz do inferno, chamado Minos, ouve a confissão dos mortos e os destina a um dos nove círculos, faz isso enrolando sua enorme cauda envolta do corpo, cada volta representa um círculo abaixo.

Nesse mesmo círculo, estão aqueles que cometeram o pecado da luxúria, que são atormentados por furacões e ventanias representando os vícios da carne, que assim como o vento, os levavam de encontro ao pecado.

Terceiro círculo – Lago da Lama

Encontram-se os gulosos, atolados numa lama suja, são punidos ao ficarem prostrados debaixo de uma forte chuva de granizo, água e neve, sendo arranhados, esfolados e dilacerados por um enorme cão de três cabeças chamado Cérbero, que retrata o apetite sem fim.

Quarto círculo – Colinas de Rocha

É o destino dos pródigos e avarentos, que possuem como punição, rolar com os próprios peitos grandes pesos, que representam as suas riquezas e estão fadados a trocarem injúrias entre si.

Quinto círculo – Rio Estige

Abriga os acusados de ira, estes ficam amontoados em um lago formado de água e sangue borbulhante, batendo-se e torturando-se. No fundo do Estige, estão os rancorosos que não demonstraram sua ira e permanecem proibidos de subir à superfície.

Sexto círculo – Cemitério de Fogo

lugar dos que em vida foram hereges, os que não acreditaram na existência de Deus e de Jesus como seu Filho. A punição que eles recebem é o sepultamento em túmulos abertos, de onde sai fogo (o que nos lembra a sentença dada aos condenados por heresia pela Igreja, que eram queimados em fogueiras)


Sétimo círculo – Vale do Flegetonte

É o destino dos que praticam violência. Esse círculo é dividido em três vales:

No primeiro vale (Vale do Rio Flegetonte), estão às almas dos que foram violentos contra o próximo, aqui eles permanecem mergulhados em um rio feito com o sangue dos que eles oprimiram. Na margem do rio ficam o Minotauro de Creta e centauros, que atiram setas nas almas que se erguem do sangue;

No segundo vale (Vale da Floresta dos Suicídas) estão os que praticaram violência contra si mesmo, esses se transformam em árvores sombrias e retorcidas;

No terceiro vale (Vale do deserto Abominável), estão os que praticam violência contra Deus, contra a natureza e contra a arte, e são condenados a permanecer em um deserto de areia quente, onde chovem chamas de fogo, um lugar estéril e sem vida, contrário ao mundo criado por Deus.

Oitavo círculo – Malebolge

É dividido em dez fossos, onde são punidos diversos pecados:

No primeiro fosso estão os rufiões e sedutores, açoitados continuamente pelos demônios, que os obrigam assim a cumprir os seus desejos;

No segundo estão os aduladores e lisonjeiros, estes estão imersos em fezes e esterco, que representa a sujeira que deixaram no mundo, resultado do proveito que tiravam dos medos e desejos dos outros e das falsas palavras proferidas;

O terceiro é destino dos simoníacos, enterrados de cabeça para baixo e com as pernas sendo queimadas por chamas;

No quarto encontram-se os adivinhos, que como punição têm suas cabeças voltadas para as costas, os impossibilitando de olhar pra frente;

No quinto fosso estão os corruptos, submergidos em um lago de piche fervente;

No sexto são punidos os hipócritas, estes estão vestidos em pesadas capas de chumbo dourado;

No sétimo estão os ladrões, que são picados por serpentes que os atravessam e os desintegram;

No oitavo são castigados os maus conselheiros, aqui eles são envolvidos por infinitas chamas, e padecem ardendo;

O nono fosso abriga os que semearam a discórdia, e são então esfaqueados e mutilados por demônios que lhes arrancam o que representa a discórdia semeada;

No décimo fosso, os falsários são punidos com úlceras fétidas e diversas enfermidades;


Nono e último círculo – Lago Cócite

Cujo pavimento é formado por gelo, é onde estão presos os traidores. Este círculo é dividido em quatro esferas:

A primeira esfera é a de Caína, onde são punidos os que traem seus parentes, estes ficam apenas com o tórax e a cabeça fora do gelo. O nome Caína faz referência a Caim que matou seu irmão Abel.

Na segunda esfera, a esfera de Antenora, estão os que traíram sua pátria, aqui apenas as cabeças ficam fora do gelo;

A terceira esfera, chamada esfera da Ptoloméia ou Toloméia, é onde os traidores de seus convidados são punidos, ficando apenas com o rosto exposto e quando choram, suas lágrimas congelam e cobrem os seus olhos;

A última esfera do nono círculo do inferno, é chamada de esfera Judeca, seu nome claro, faz referência ao traidor mais conhecido da história, Judas Iscariotes e é o destino dos que traíram seus senhores e benfeitores, permanecendo completamente submersos no lago de gelo, conscientes. No meio da esfera está Lucífer, que com suas três cabeças prende de um lado Judas, e do outro Brutus e Cássio, responsáveis pela morte de Júlio César.


Fonte: http://www.laparola.com.br/

A venda de indulgências



No que consistia a doutrina das indulgências? "Acreditava-se que Cristo em pessoa, a Virgem Maria e muitos santos tivessem ganhado, durante sua vida, um surplus de mérito que poderia ser distribuído entre os cristãos menos praticantes da fé e que haviam, ao contrário deles, acumulado um déficit em razão dos pecados cometidos, e, para expiá-los, deveriam passar um longo período de tempo no Purgatório. Os papas, depositários, através de Pedro, das chaves da Igreja, tinham acesso a esse tesouro e podiam estendê-lo aos pecadores que precisassem de uma diminuição na pena. Estes podiam, assim, privar-se de parte das riquezas acumuladas durante a vida terrena e receber em troca a riqueza espiritual dos santos. Mesmo não sendo possível comprar a salvação, podia-se, no entanto, pagar pela remissão (mesmo total) da pena." (David Christie-Murray, 1998, p. 169.)

O auge dessa prática se deu durante o pontificado de João de Mediei, o Leão X (1513-1521), que lançou uma aberta política de venda de indulgências. Verdadeiros mascates percorreram a Europa vendendo "cartas de indulgência", quase bônus-Paraíso, que podiam ser comprados sem maiores formalidades, mas desconcertando muitos crentes genuínos.

Em 1517, foi divulgada a Taxa Camarae, uma lista das indulgências previstas para os vários pecados, com um tarifário a elas referentes, reportado a seguir:

1. O eclesiástico que incorrer em pecado carnal, seja com freiras, primas, sobrinhas, afilhadas ou, enfim, com outra mulher qualquer, será absolvido mediante o pagamento de 67 libras e 12 soldos.

2. Se o eclesiástico, além do pecado de fornicação, pedir para ser absolvido do pecado contra a natureza ou de bestialidade, deverá pagar 219 libras e 15 soldos. Mas se tiver cometido pecado contra a natureza com crianças ou animais, e não com uma mulher, pagará apenas 131 libras e 15 soldos.

3. O sacerdote que deflorar uma virgem pagará 2 libras e 8 soldos.

4. A religiosa que quiser ser abadessa após ter se entregado a um ou mais homens simultânea ou sucessivamente, dentro ou fora do convento, pagará 131 libras e 15 soldos.

5. Os sacerdotes que quiserem viver em concubinato com seus parentes pagarão 76 libras e 1 soldo.

6. Para cada pecado de luxúria cometido por um leigo, a absolvição custará 27 libras e 1 soldo.

7. A mulher adúltera que pedir a absolvição para se ver livre de qualquer processo e ser dispensada para continuar com a relação ilícita pagará ao papa 87 libras e 3 soldos. Em um caso análogo, o marido pagará o mesmo montante; se tiverem cometido incesto com o próprio filho, acrescentar-se-ão 6 libras pela consciência.

8. A absolvição e a certeza de não ser perseguido por crime de roubo, furto ou incêndio custarão ao culpado 131 libras e 7 soldos.

9. A absolvição de homicídio simples cometido contra a pessoa de um leigo custará 15 libras, 4 soldos e 3 denários.

10. Se o assassino tiver matado dois ou mais homens em um único dia, pagará como se tivesse assassinado um só.

11. O marido que infligir maus-tratos à mulher pagará às caixas da chancelaria 3 libras e 4 soldos; se a mulher for morta, pagará 17 libras e 15 soldos; e se a tiver matado para se casar com outra, pagará mais 32 libras e 9 soldos. Quem tiver ajudado o marido a perpetrar o crime será absolvido mediante o pagamento de 2 libras por cabeça.

12. Quem afogar o próprio filho pagará 17 libras e 15 soldos (ou seja, 2 libras a mais que aquele que matar um desconhecido), e se pai e mãe o tiverem matado de comum acordo, pagarão 27 libras e 1 soldo pela absolvição.

13. A mulher que destruir o filho que carrega no ventre e o pai que contribuir para a realização do crime pagarão 17 libras e 15 soldos cada. Aquele que facilitar o aborto de uma criatura que não for seu filho pagará 1 libra a menos.

14. Pelo assassinato de um irmão, uma irmã, mãe ou pai, pagarse-ão 17 libras e 5 soldos.

15. Aquele que matar um bispo ou prelado de hierarquia superior pagará 131 libras, 14 soldos e 6 denários.

16. Se o assassino tiver matado mais sacerdotes em várias ocasiões pagará 137 libras e 6 soldos pelo primeiro homicídio e a metade pelos seguintes.

17. O bispo ou abade que cometer homicídio por emboscada, acidente ou estado de necessidade pagará, para conseguir a absolvição, 179 libras e 14 soldos.

18. Aquele que quiser comprar antecipadamente a absolvição por qualquer homicídio acidental que possa vir a cometer no futuro pagará 168 libras e 15 soldos.

19. O herege que se converter pagará, pela absolvição, 269 libras. O filho do herege que tiver sido queimado, enforcado ou executado de qualquer outra forma poderá ser readmitido apenas mediante o pagamento de 218 libras, 16 soldos e 9 denários.

20. O eclesiástico que, não podendo pagar os próprios débitos, quiser se livrar de ser processado pelos credores entregará ao pontífice 17 libras, 8 soldos e 6 denários, e a dívida lhe será perdoada.

21. Será concedida a licença para a instalação de postos de venda de vários gêneros sob os pórticos das igrejas mediante o pagamento de 45 libras, 19 soldos e 3 denários.

22. O delito de contrabando e fraude aos direitos do príncipe custará 87 libras e 3 denários.

23. A cidade que quiser que seus habitantes ou sacerdotes, freis ou monjas obtenham licença para comer carne e laticínio em épocas em que é proibido pagará 781 libras e 10 soldos.

24. O mosteiro que quiser variar a regra e viver com menos abstinência do que a prescrita pagará 146 libras e 5 soldos.

25. O frade que, por conveniência própria ou gosto, quiser passar a vida em um ermitério com uma mulher dará ao tesouro pontifício 45 libras e 19 soldos.

26. O apóstata vagabundo que quiser viver sem obstáculos pagará igual quantia pela absolvição.

27. Igual montante pagarão os religiosos, sejam eles seculares ou regulares, que queiram viajar em trajes de leigo.

28. O filho bastardo de um sacerdote que queira preferência para suceder o pai na cúria pagará 27 libras e 1 soldo.

29. O bastardo que queira receber ordens sagradas e gozar de seus benefícios pagará 15 libras, 18 soldos e 6 denários.

30. O filho de pais desconhecidos que queira entrar para as ordens pagará ao tesouro pontifício 27 libras e 1 soldo.

31. Os leigos feios ou deformados que queiram receber ordenamentos sagrados e ter benefícios pagarão à chancelaria apostólica 58 libras e 2 soldos.

32. Igual quantia pagará o vesgo do olho direito, enquanto o vesgo do olho esquerdo pagará ao papa 10 libras e 7 soldos. Os estrábicos bilaterais pagarão 45 libras e 3 soldos.

33. Os eunucos que queiram entrar para as ordens pagarão a quantia de 310 libras e 15 soldos.

34. Aquele que, por simonia, queira comprar um ou muitos benefícios se dirigirá aos tesoureiros do papa, que lhe venderão os direitos a preços módicos.

35. Aquele que, tendo descumprido um juramento, queira evitar qualquer perseguição e se livrar de qualquer tipo de infâmia pagará ao papa 131 libras e 15 soldos. Além disso, dará 3 libras para cada um que ouviu o juramento.1

Não havia crime, nem o mais cruel, que não pudesse ser perdoado mediante pagamento.

Naqueles anos, o dominicano Tetzel percorreu a Alemanha vendendo cartas de indulgência. Mais tarde, Lutero descreveria sua obra da seguinte forma: "Seus poderes e graça foram ampliados de tal forma pelo papa que, se alguém violasse ou engravidasse a Virgem Maria, ele teria perdoado aquele pecado assim que uma quantia de dinheiro suficiente fosse colocada em sua bolsa... Ele redimiu mais almas com as indulgências do que São Pedro com seus sermões; quando era colocado em sua bolsa um dinheiro pelo Purgatório... a alma se elevava imediatamente para o Paraíso; não havia necessidade de comprovar dor ou arrependimento por um pecado se era possível comprar indulgências ou cartas de indulgência. Tetzel vendia até o direito de poder pecar no futuro... qualquer coisa era garantida em troca de dinheiro."

A venda de indulgências era apenas a ponta do iceberg de um fenômeno geral de corrupção na Igreja da época. Os altos prelados acumulavam mais encargos e as relativas prebendas. Os bispos não residiam nas sedes a eles designadas: por exemplo, um nobre de Ferrara podia ser nomeado arcebispo na Hungria e nunca sair de sua casa, limitando-se a receber o dízimo dos fiéis de cujas almas devia cuidar. 

O título de cardeal (que era o "príncipe", também em sentido terreno) muitas vezes não era resultado de um longo percurso espiritual, mas da venda ou concessão do papa a parentes e amigos. Quem podia se permitir o comprava para o filho caçula ou ilegítimo, por vezes adolescente, como uma renda vitalícia. O próprio Leão X (1513-1521) se tornara cardeal aos 13 anos.

Os pontífices eram, em todos os aspectos, soberanos renascentistas. Como os reis, eliminavam os adversários e se cercavam de homens de confiança. Como os reis, usavam a intriga e o homicídio político, como o papa Alexandre VI Bórgia (1492-1503), por exemplo, e seu filho César. Como os reis, declaravam guerra contra seus inimigos e conduziam as tropas na batalha; o papa Júlio II (1503-1513) foi retratado em armadura.3 Como os reis, tinham concubinas e filhos bastardos. E, como os reis, amavam as artes e protegiam os artistas. Mas os cuidados com as almas nada tinham a ver com tudo isso.

Livro Negro do Cristianismo - Dois Mil Anos de Crimes em Nome de Deus (Cód: 1915874)
Fo,Jacopo / Tomat,Sergio / Malucelli,Laura
Ediouro - Singular

Traumas


Meu pai um dia me falou pra que eu nunca mentisse, mas ele também se esqueceu de me dizer a verdade da realidade do mundo que eu ia saber, dos traumas que a gente só sente depois de crescer.

Falou dos anjos que eu conheci, no delírio da febre que ardia, do meu pequeno corpo que sofria sem nada entender

Minha mulher em certa noite ao ver meu sono estremecido, falou que os pesadelos são algum problema adormecido.

Durante o dia a gente tenta, com sorrisos, disfarçar alguma coisa que na alma conseguimos sufocar.

Meu pai tentou encher de fantasia e enfeitar as coisas que eu via, mas aqueles anjos agora já se foram depois que eu cresci.

Agora eu sei o que meu pai queria me esconder, às vezes as mentiras também ajudam a viver.

Talvez um dia pro meu filho eu também tenha que mentir, pra enfeitar os caminhos que ele um dia vai seguir.

Letra e musica de Roberto Carlos

Como se há de resistir às tentações


Enquanto vivemos neste mundo, não podemos estar sem trabalhos e tentações. Por isso lemos no livro de Jó (7,1): É um combate a vida do homem sobre a terra. Cada qual, pois, deve estar acautelado contra as tentações, mediante a vigilância e a oração, para não dar azo às ilusões do demônio, que nunca dorme, mas anda por toda parte em busca de quem possa devorar (1Pd 5,8). Ninguém há tão perfeito e santo, que não tenha, às vezes, tentações, e não podemos ser delas totalmente isentos.

São, todavia, utilíssimas ao homem as tentações, posto que sejam molestas e graves, porque nos humilham, purificam e instruem. Todos os santos passaram por muitas tribulações e tentações, e com elas aproveitaram; aqueles, porém, que não as puderam suportar foram reprovados e pereceram. Não há ordem tão santa nem lugar tão retirado em que não haja tentações e adversidades.

Nenhum homem está totalmente livre de tentações, enquanto vive, porque em nós mesmos está a causa donde procedem: a concupiscência em que nascemos. Mal acaba uma tentação ou tribulação, outra sobrevém, e sempre teremos que sofrer, porque perdemos o dom da primitiva felicidade. Muitos procuram fugir às tentações, e outras piores encontram. Não basta a fuga para vencê-las; é pela paciência e verdadeira humildade que nos tornamos mais fortes que todos os nossos inimigos.

Pouco adianta quem somente evita as ocasiões exteriores, sem arrancar as raízes; antes lhe voltarão mais depressa as tentações, e se achará pior. Vencê-las-á melhor com o auxílio de Deus, a pouco e pouco com paciência e resignação, que com importuna violência e esforço próprio. Toma a miúdo conselho na tentação e não sejas desabrido e áspero para o que é tentado, trata antes de o consolar, como desejas ser consolado.

O princípio de todas as más tentações é a inconstância do espírito e a pouca confiança em Deus; pois, assim como as ondas lançam de uma parte a outra o navio sem leme, assim as tentações combatem o homem descuidado e inconstante em seus propósitos. O ferro é provado pelo fogo, e o justo pela tentação. Ignoramos muitas vezes o que podemos, mas a tentação manifesta o que somos. Todavia, devemos vigiar, principalmente no princípio da tentação; porque mais fácil nos será vencer o inimigo, quando não o deixarmos entrar na alma, enfrentando-o logo que bater no limiar. Por isso disse alguém: Resiste desde o princípio, que vem tarde o remédio, quando cresceu o mal com a muita demora (Ovídio). Porque primeiro ocorre à mente um simples pensamento, donde nasce a importuna imaginação, depois o deleite, o movimento; e assim, pouco a pouco, entra de todo na alma o malvado inimigo, porque se lhe não resistiu a princípio. E quanto mais alguém for indolente em lhe resistir, tanto mais fraco se tomará cada dia, e mais forte o seu adversário.

Uns padecem maiores tentações no começo de sua conversão, outros, no fim; outros por quase toda a vida são molestados por elas. Alguns são tentados levemente, segundo a sabedoria da Divina Providência, que pondera as circunstâncias e o merecimento dos homens, e tudo predispõe para a salvação de seus eleitos.

Por isso não devemos desesperar, quando somos tentados; mas até, com maior fervor, pedir a Deus que se digne ajudar-nos em toda provação, pois que, no dizer de São Paulo, nos dará graça suficiente na tentação para que a possamos vencer (1Cor 10,13). Humilhemos, portanto, nossas almas, debaixo da mão de Deus, em qualquer tentação e tribulação porque ele há de salvar e engrandecer os que são humildes de coração.

Nas tentações e adversidades se vê quanto cada um tem aproveitado; nelas consiste o maior merecimento e se patenteia melhor a virtude. Não é lá grande coisa ser o homem devoto e fervoroso quando tudo lhe corre bem; mas, se no tempo da adversidade conserva a paciência, pode-se esperar grande progresso. Alguns há que vencem as grandes tentações e, nas pequenas, caem frequentemente, para que, humilhados, não presumam de si grandes coisas, visto que com tão pequenas sucumbem.

Fonte: livro: imitação de Cristo - Tomás de Kempis

Convivendo com as adversidades


Bom é passarmos algumas vezes por aflições e contrariedades, porque frequentemente fazem o homem refletir, lembrando-lhe que vive no desterro e, portanto, não deve pôr sua esperança em coisa alguma do mundo. Bom é encontrarmos às vezes contradições, e que de nós façam conceito mau ou pouco favorável, ainda quando nossas obras e intenções sejam boas. Isto ordinariamente nos conduz à humildade e nos preserva da vanglória. Porque, então, mais depressa recorremos ao testemunho interior de Deus, quando de fora somos vilipendiados e desacreditados pelos homens.

Por isso, devia o homem firmar-se de tal modo em Deus, que lhe não fosse mais necessário mendigar consolações às criaturas. Assim que o homem de boa vontade está atribulado ou tentado, ou molestado por maus pensamentos, sente logo melhor a necessidade que tem de Deus, sem o qual não pode fazer bem algum. Então se entristece, geme e chora pelas misérias que padece. Então causa-lhe tédio viver mais tempo, e deseja que venha a morte livrá-lo do corpo e uni-lo a Cristo. Então compreende também que neste mundo não pode haver perfeita segurança nem paz completa.

Reflexões

Acho que, entre todas as vantagens da tribulação, que não são poucas, uma das mais excelentes é que ela nos faz voltar a Nosso Senhor. Quando estamos vivendo na prosperidade, frequentemente o esquecemos, mas na adversidade recorremos a ele como ao nosso único refúgio.

Como o suco da uva, se o deixarmos no cacho durante muito tempo, deteriora e apodrece, assim a alma, se a deixarmos em seus prazeres e volúpias, em seus desejos e aspirações, ela se corrompe; mas se for oprimida pela tribulação, dela sai o doce licor de penitência e de amor. 

Oração

Eu sou vosso, ó meu Deus, salvai-me, tende misericórdia de mim, pois minha alma confia em vós; salvai-me, Senhor, porque as águas submergem meu coração; fazei de mim um de vossos mercenários, Senhor; sede propício a mim, pobre pecador. 

Fonte: livro: imitação de Cristo - Tomás de Kempis

O cavalo cego


Na estrada de minha casa há um pasto. Dois cavalos vivem lá.
De longe, parecem cavalos como os outros cavalos, mas, quando se olha bem, percebe-se que um deles é cego. Contudo, o dono não se desfez dele e arrumou-lhe um amigo – um cavalo mais jovem.
Isso já é de se admirar.
Se você ficar observando, ouvirá um sino. Procurando de onde vem o som, você verá que há um pequeno sino no pescoço do cavalo menor.
Assim, o cavalo cego sabe onde está seu companheiro e vai até ele.
Ambos passam os dias comendo e no final do dia o cavalo cego segue o companheiro até o estábulo.
E você percebe que o cavalo com o sino está sempre olhando se o outro o acompanha e, às vezes, pára para que o outro possa alcançá-lo.
E o cavalo cego guia-se pelo som do sino, confiante que o outro o está levando para o caminho certo.
Como o dono desses dois cavalos,
Deus não se desfaz de nós só porque não somos perfeitos, ou porque temos problemas ou desafios. Ele cuida de nós e faz com que outras pessoas venham em nosso auxílio quando precisamos.
Algumas vezes somos o cavalo cego guiado pelo som do sino daqueles que Deus coloca em nossas vidas.
Outras vezes, somos o cavalo que guia, ajudando outros a encontrar seu caminho. 
E assim são os bons amigos. Você não precisa vê-los, mas eles estão lá.
Viva de maneira simples,
Ame generosamente, Cuide com devoção,Fale com bondade….
E confie, deixando o resto para Deus..

Fonte: internet

Entrevista com Jesus Cristo - Parte I


Repórter
- Mestre, eu como um cientista, como poderei compreender e transmitir a tua ressurreição? 

Jesus
- Há realidades que dificilmente poderão ser provadas pela ciência ou pelas deduções da pura razão. Ninguém pode conceber tais verdades enquanto permanecer no domínio da experiência humana. Quando tiverdes terminado cá em baixo, quando tiverdes completado o vosso tempo de prova na carne, quando o pó que forma o tabernáculo mortal for devolvido à terra donde provém, então, só então, o Espírito que nos alimenta, que foi Deus que vo-lo concedeu e a tua pergunta ficará plenamente satisfeita.

Repórter
- É verdade que a morte é apenas uma passagem, tão natural e obrigatória como a calma que sucede à tempestade?

Jesus
- A corrente de ferro da verdade, que vós qualificais de invariável, mantém-vos cegos num círculo vicioso. Tecnicamente pode ter-se razão nos factos e, no entanto, estar-se eternamente equivocado na Verdade.
- Eu sou a Verdade. Tocaste-me e agora tu vês-me e ouves as minhas palavras. Porque continuas a duvidar? O fato de não a compreenderes não significa que essa realidade superior seja uma quimera ou o fruto de mentes visionárias. Quando chegar a tua hora, os meus anjos ressuscitados despertar-te-ão num mundo que nem sequer podes imaginar...

Repórter
- Os teus anjos ressuscitadores?

Jesus
- Tu, meu amigo, à tua maneira, já respondeste a essa pergunta: no meu Reino há muitas moradas... E uma delas é passagem obrigatória para os mortais que procedem dos mundos evolucionários do tempo e do espaço.

Repórter
- E tu, também foste ressuscitado?

Jesus
- Não, meu filho. Acabo de dizer-te que eu sou a Vida. Os meus anjos, não a meu pedido dispuseram já do meu invólucro carnal. Mas o poder de ressuscitar, no Espírito, é um dom que devo apenas ao Pai. Um dia, quando fores para o outro lado, compreendê-lo-ás.

Repórter
- Se não entendi mal, nenhum dos seres humanos tem o poder de auto-ressuscitar-se.

Jesus
- É verdade. No entanto, podeis desfrutar de soberana verdade que ninguém mesmo ninguém, perde esse direito. Todos aqueles, como aconteceu comigo, despertareis para uma vida que é apenas o princípio de uma longa caminhada para o Paraíso. Uma continuada ascensão para o Pai Universal. Uma viagem sem retorno.

Repórter
- Queres dizer com isso de que os teus anjos apenas dispuseram do teu invólucro carnal?

Jesus
- Já to disse, mas, na tua perplexidade, não ouves as minhas palavras.
- Eu sou a Vida! Em verdade te digo que nenhuma das minhas criaturas pode devolver-me o que é meu e que só compartilho com meu Pai. Os meus discípulos, e a maioria dos homens dos tempos vindouros, associaram e associarão a maravilhosa realidade do regresso à vida eterna e espiritual com o mero desaparecimento do meu corpo terrestre. Enganam-se. A desintegração desse invólucro carnal foi um fenômeno posterior à minha verdadeira ressurreição. 
- A ti posso dizê-lo: Os milagres, tais como os concebem muitos seres humanos, não existem. O poder de meu Pai é tão grande que não precisa alterar a ordem do criado. O verdadeiro milagre é a vossa cega crença nos milagres.

Repórter
- Alguns seres temem mais a incógnita do depois da morte que o fato físico da mesma...

Jesus
- Esses, no escandaloso troar das suas dúvidas, silenciam a íntima e sábia voz das suas consciências. Deixai que seja ela a guiar-vos. Tudo, na criação de meu Pai, está meticulosa e – misericordiosamente posto para vosso bem – Ninguém morre. Nada morre. Tudo é um contínuo progresso para o Paraíso. E nem sequer é o fim...

Repórter
- Mas as religiões e algumas Igrejas pregam a salvação e a condenação.

Jesus
- Não meças o nosso Pai Universal com a bitola dos homens, nem confundas a religião da autoridade com a do espírito. Um dia todos os mortais compreenderão que só o caminho da experiência e da procura pessoal da chispa divina é que alimenta cada um de vós.
Enquanto as orações não evoluírem, o mundo assistirá a essas cerimónias religiosas, mas supersticiosas, tão características dos povos primitivos.
Enquanto a Humanidade não alcançar um nível superior, reconhecendo assim as realidades da experiência espiritual, muitos homens e mulheres preferirão as religiões autoritárias, que só exigem o assentimento intelectual. Essas religiões da mente, apoiadas na autoridade das tradições religiosas, oferecem um cómodo refúgio às almas confusas ou assediadas pelas dúvidas e pela incerteza. 
O preço a pagar por essa falsa e sempre provisória segurança é o fiel e passivo assentimento intelectual às suas verdades. Durante muitas gerações, a Terra acolherá mortais tímidos, temerosos e vacilantes que preferirão esse tipo de pacto. E eu digo-te que, ao unirem os seus destinos ao das religiões da autoridade, porão em perigo a sagrada soberania das suas personalidades, renunciando ao direito de participar na mais apaixonante e vivificante de todas as experiências humanas: a busca pessoal da Verdade e psíquica.

Repórter
- O que representa essa busca pessoal?

Jesus
- As descobertas intelectuais, meu amigo, constituem sempre uma aventura e um risco. Mas só os audazes, os que obedecem ao seu próprio eu, têm capacidade para enfrentar isso. Só esses, os autênticos pesquisadores da Verdade, sabem explorar resolutamente e sem medo as realidades da experiência religiosa pessoal. 
E essas vitórias, único objetivo da existência humana, só conduzem a uma busca pessoal de nós que todo o homem que se empenhe nessa suprema aventura, encontrará meu pai no mesmo no meio do desalento das dúvidas. A religião do espírito significa luta, conflitos, esforço, amor, fidelidade e progresso. 
O dogmatismo, pelo contrário, exige apenas dos seus fiéis uma parte ínfima desse esforço. Não esqueças que a tradição é um caminho fácil e um refúgio seguro para as almas tíbias e receosas, incapazes de enfrentar as duras lutas do espírito e da incerteza. Os homens de fé viajam sempre pelos difíceis oceanos à procura de novos horizontes; os submissos limitam-se a navegar junto à costa ou fundeiam as suas inquietações ao abrigo de portos limitados impróprios para navios que foram construídos para corajosas e longínquas navegações.

Repórter
- O que deve fazer um homem que deseja encontrar a verdade? 

Jesus
- Confiar no nosso Pai. Só isso. Em cada manhã, em cada momento da tua vida, põe-te nas Suas mãos. Luta pela fraternidade entre os homens, luta pela tolerância e pela justiça. Luta em prol dos mais fracos. Ele encarregar-se-á do resto.

Repórter
- O Pai deve ser um grande tipo! 

Jesus
- É tão sem medida que mede os mares na concha da sua mão e os universos na distância de um palmo! Ele quem está sentado na órbita da Terra, quem estende os céus como um manto e os ordena para que sejam habitados. Mas não confundas: Deus do símbolo verbal, que designa todas as personalidades da divindade...

Repórter
Como era o Deus antes da sua encarnação na terra?

Jesus
- Antes da minha encarnação na Terra, os homens podiam crer num Deus colérico, sedento de justiça. A sua ignorância era perdoável, agora revelei-lhes um pai misericordioso que só conhece a palavra amor.
Um pai não deseja a morte a seu filho – A Sua vontade era que eu permanecesse no vosso mundo até ao fim e esgotasse o cálice que todos os mortais, por sua natureza, beberam e beberão com partilha e foi para vos demonstrar que a fé em Deus nunca é estéril. Sei que, apesar das minhas palavras, muitos dão outro sentido à minha morte na Cruz. Eu não vim ao mundo para saldar uma suposta velha dívida dos homens para com Deus. O Pai celestial jamais poderia conceber a grave injustiça de condenar uma alma pelos erros dos seus antepassados.

Repórter
- Então, essas ideias dos cristãos sobre a redenção pela Cruz não faz sentido?

Jesus
- A tendência para o vício pode ser hereditária. O pecado, pelo contrário, não se transmite de pais para filhos. O pecado é um ato consciente e deliberado de rebeldia contra a vontade do nosso Pai Universal e ir contra as leis do filho.
Toda a ideia de resgate ou expiação é, por conseguinte, incompatível com o conceito de Deus. O amor infinito do nosso Pai ocupa o primeiro lugar dentro da natureza divina. Em verdade te digo que o sentido de salvação pelo sacrifício está arraigado no egoísmo. Sei que a vida de serviço e o conceito mais elevado da fraternidade entre os crentes. E dir-te-ei mais: a salvação é crer na paternidade de Deus, a maior preocupação dos fiéis do reino não deveria ser o seu desejo egoísta de salvação pessoal, mas sim a necessidade de amar os seus semelhantes acima de si mesmos. 
Os autênticos crentes não se preocupam com o possível futuro castigo de seus erros. Interessam-se tão somente pelo restabelecimento do contato com Deus. Por certo, um pai pode castigar os seus filhos, mas fá-lo por amor e com um fim e um sentido puramente disciplinares.

Repórter
- Então há um castigo futuro?

Jesus
- Mas não como tu o imaginas. O nosso Pai é amor. E o amor é contagioso e eternamente criador. Crês que não existem outros meios melhores que os castigos para corrigir os erros das limitadas criaturas mortais? 
Antes de eu ter vindo a este mundo (mesmo antes de tê-lo criado), todos os mortais do reino dispunham já da salvação. O nosso Pai, repito-te, não é um monarca ofendido, severo e implacável, cujo principal prazer consista em detectar e perseguir as criaturas que agem na obscuridade ou no pecado. A simples ideia de um resgate ou expiação colocaria a salvação num plano de irrealidade. 
Este conceito é puramente filosófico. A salvação humana é inegável e baseada em dois únicos princípios:
Deus é nosso Pai e consequentemente, todo o homem são irmãos.

Repórter
Quando é que isso acontecerá? Quando desaparecerão a maldade e a injustiça?

Jesus
- Só há um caminho: o amor. O amor dissolve o pecado e as fraquezas humanas. Ama os teus semelhantes! Ama-os na penúria e na riqueza! Ama-os mesmo quando penses que eles estão enganados! Ama-os, simplesmente! 

Adaptado da obra "Operação Cavalo de Troia - Vol 3" de J.J. Benitez

Cartas de Deus para você - Primeira carta


Oi filha, como você está hoje? Eu vi que você chorou muito essa noite. Seu travesseiro ficou encharcado. Minha pequena, você não merece isso.
Eu me preocupo com você.Eu me importo tanto contigo minha menina, Você é tão valiosa pra mim. 

Eu sei que o momento está difícil. 
Sei que parece que tudo está desmoronando dentro de você. 
Sei que a dor é muito grande e que te deixa sem chão, mas quero te dizer que se você não tiver mais forças para ficar em pé, eu vou te segurar no colo. 
Eu tenho ouvido você pedir todas as noites para te abraçar, para ficar com você e te ajudar, e estou fazendo isso. 
Eu te abraço, te protejo até que você durma. 
E quando você acorda, já preparei um dia lindo para você lá fora. 
Eu sei que você tem uma aliança de amor comigo.
Eu sei que você me honra, e Eu também te honrarei. 

Tenho preparado coisas tão lindas e tão grandes pra você, e mesmo você sendo tão sonhadora, não consegue imaginar o quão lindas são. 
Ah filhinha!, amo ver você cantar, amo você quando você me adora. 
Eu olho para você e sorrio. 
Vejo o quanto você é perfeita, o quanto cada detalhe seu ficou lindo.
Continua firme minha princesa, 
Levanta sua cabeça, estou contigo 
E existe um futuro lindo e cheio de paz para você.
Se pareço estar em silencio é porque eu estou trabalhando. 

Lembre-se que em uma prova o professor sempre fica em quieto.
Mais uma coisa meu bem, perdoe, perdoe como Eu perdoei.
Também fui traído, sei como dói, mas seu coração é tão lindo.
Não deixe que tenha espaço para sentimentos ruins.
Abençoe a vida de quem te fez mal.
Profetiza sobre a vida de quem te enganou.
Vamos, você consegue, você é forte, você é diferente.

Você é guerreira, você é luz dentro dessa escuridão. 
Muitas pessoas vão se achegar a mim através da sua vida. 
Pessoas vão ser curadas, mudadas, restauradas e transformadas.
Você vai alcançar lugares que você nem pode imaginar mas para isso você precisa continuar. 
Filha, sorri para mim! 
Uma filha doce como você merece um amor doce como o meu.
Vamos lá, cabeça erguida, você consegue princesa.
Com amor, seu Pai e amigo, Jesus
Proxima  → Página inicial